Principal
Publicações
Eu, Bookaholic
Semanário de um escritor
Fora...
Sobre nós
Contato
Apagão
Turista Acidentado
Filosofias de botequim
As aventuras do Capitão Glu-Glu
Aliens Anônimos
Rapidinhas do EUqueDISSE
Charges do EUquedisse
Histórias de Guerra
Procura-se Mãe de Pano

Ele procurava a bagagem. Tinha certeza de que estava ali – ali, está vendo? Não ali, ali! Isso. Era uma mala preta. Com rodinhas. E aqueles puxadores para facilitar o transporte. Não, não é igual a de quase todo mundo. Um montão de gente usa mala vermelha que eu sei! Nem vem, há uma diferença enorme entre preto e vermelho! Vermelho é aquela cor cheguei, que você reconhece a quilômetros de quilômetros de distância. Se a mala fosse vermelha, você já tinha achado! Já o preto é mais discreto. Além disso, suja menos. Ele viaja muito, sabe? Pra um montão de lugares sem noção, daí é importante ter uma bagagem que não suje. E discreta. Ele não quer passar recibo de que é uma pessoa extravagante. Só leva meia dúzia de roupas na bagagem, então pra que chamar a atenção, não é? Se chamar a atenção, vão pensar que ele esconde algo lá dentro – pura bobagem, porque na verdade ele não esconde nada. Mas até provar que não esconde nada, já viu, ninguém vai acreditar. Mas voltemos a mala. Ele tem certeza de que estava ali. Olha, parece com aquela. Aquela ali! Não, mas não é aquela. Só parece, mas não é! Há uma diferença enorme entre parecer e ser, sabia? Poderia ser aquela outra, também. Acho que a outra até parece mais. Ah, sei lá, mala é tudo igual, não é? Mas a dele estava ali, ele tinha certeza! Claro, se ele vir a mala vai saber que é a dele. Todo mundo sabe qual é a mala. Mas como eu posso descrevê-la para você? Já disse, preta, com rodinhas e aqueles puxadores. Nome? Talvez tivesse nome, ele não lembra. A mala era nova, ele não lembra de ter posto nome. A outra que ele perdeu tinha nome, mas não adiantou nada. Endereço? E ele lá coloca endereço na mala? Vai que alguém a rouba e depois vai até a casa dele pra roubá-lo ainda mais? Claro que ele não punha endereço! Não, também não tinha nada que a diferenciasse. Tinha um raspadinho no canto, mas era algo discreto, discreto. Você nem iria notar, pra dizer a bem da verdade. Sabe, esses raspados de quando a gente esbarra na parede? Pois é. Não achou? Mas ela estava ali! Não sei se não está mais, mas estava. Então anota o nome dele, caso encontre. Jack. Só Jack. Não vou te passar o endereço, né, colega? Vai que você foi quem roubou ela e resolve ir atrás dele pra roubar mais? Eh... tá louco? (03012012)

Anterior
Pular 10 para trás
Índice
Pular 10 para frente
Próximo

EUqueDISSE 2014